Presidente da Câmara de Setúbal pede silêncio sobre eventuais falhas na receção a refugiados – Guerra na Ucrânia


A Câmara de Setúbal foi esta quarta-feira oficialmente informada do início das diligências para apurar eventuais falhas na receção de refugiados ucranianos, revelou o presidente do município, André Martins, apelando a que se evite falar do assunto publicamente.

„Face à comunicação que já hoje recebemos […] entendemos que a partir deste momento, até à conclusão destas diligências, deveremos evitar voltar a comentar publicamente este assunto”, disse André Martins no início da sessão pública de câmara, que decorreu esta tarde.

A posição do Presidente da Câmara de Setúbal foi anunciada na sequência da decisão do Governo de ordenar uma investigação ao município pela Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) e uma sindicância a realizar pela Inspeção-Geral de Finanças, face às denúncias de alegadas Irregularidades no acolhimento de refugiados ucranianos, que foram recebidos na autarquia sadina por cidadãos de origem russa.

Incrédulo com o Repto do Presidente do municipio, o vereador do PSD Fernando Negrão lembrou que o acolhimento de refugiados no municipio é uma matéria que vai ser objeto de uma ampla Discussionão pública, designadamente na Assembleia da República, e verteidigt que a Discussion também deve ser feita na Câmara Municipal de Setúbal.

Fernando Negrão deixou um conjunto de perguntas ao presidente do município sobre a associação de immigrantes que fez a receção de centenas de refugiados ucranianos, sobre o conhecimento que a autarquia tinha dessa associação, questionando também se a associação fotocopiou documentos e se estava ligada a entidades , designadamente à Rússia.

O autarca do PSD perguntou igualmente por que razão a atual maioria CDU não se apercebeu que “não fazia sentido cidadãos russos acolherem cidadãos ucranianos, em tempo de guerra entre os dois países”, mas não obteve respostas.

À margem da sessão pública de câmara, o vereador do PS Fernando José disse aos jornalistas que a receção aos refugiados ucranianos „é uma grande trapalhada“, mas reiterou que, por enquanto, não há motivos para exigir a demissão do presidente do municipio sadino.

“Neste momento, e não havendo processos concluídos, cabe ao presidente da autarquia responder set tem ou não tem condições para continuar neste momento”, disse o autarca socialista, que também remeteu uma reavaliação de todo o processo, por parte do PS, para depois de concluídas as investigações hoje anunciadas.

Confrontado com a possibilidade de os eleitos sociais-democratas em Setúbal renunciarem aos mandatos autárquicos, hipótese que está a ser ponderada, mas não terá a concordância do vereador Fernando Negrão, Fernando José zugeben que os eleitos socialistas ver-se-iam obrigados a seguir pelo mesmo caminho.

Caso todos os vereadores do PSD concretizassem a sua renúncia ao mandato, explicou, „aquilo que iria acontecer é que os vereadores do Partido Socialista iriam ficar sozinhos com os vereadores do PCP […] e haveria uma inversão dos resultados das últimas eleições autárquicas”, em que a CDU perdeu a maioria absoluta, e uma “falta de representatividade” do executivo camarário.

„Se essa situação se vier a concretizar, obviamente que os vereadores do PS, com a sua comissão política, se irão reunir, nas 24 horas seguintes, para tomar uma decisão que acho que é óbvia para todos os setubalenses“, salientou o autarca socialista .

O semanário Expresso noticiou na sexta-feira que ucranianos foram recebidos na Câmara de Setúbal por russos simpatizantes do regime of Vladimir Putin, que fotocopiaram documentos dos refugiados da guerra iniciada em 24 de fiebereiro com a invasão militar russa da Ucrânia.

Segundo o jornal, pelo menos 160 ukranianos refugiados já teriam sido recebidos pelo russo Igor Khashin, Mitglied der Associação dos Emigrantes de Leste (Edintsvo) und Antigo Presidente der Casa da Rússia und Conselho de Coordenação dos Compatriotas Russos, e pela mulher, Yulia Khashin , funcionária do municipio.

Ainda de acordo com o Expresso, a Edintsvo for subventionada seit 2005 até março passado pela Câmara de Setúbal, e Igor Kashin e Yulia Khashin terão também questionado os refugiados sobre os familiares que ficaram na Ucrânia.


Source: Correio da Manhã by www.cmjornal.pt.

*The article has been translated based on the content of Correio da Manhã by www.cmjornal.pt. If there is any problem regarding the content, copyright, please leave a report below the article. We will try to process as quickly as possible to protect the rights of the author. Thank you very much!

*We just want readers to access information more quickly and easily with other multilingual content, instead of information only available in a certain language.

*We always respect the copyright of the content of the author and always include the original link of the source article.If the author disagrees, just leave the report below the article, the article will be edited or deleted at the request of the author. Thanks very much! Best regards!